quinta-feira, 8 de novembro de 2007

*Passatuto...(crise de inspiração)*



Quero ser o mais comum dos seres...

não possuo a neura de me mostrar feliz quando estou triste,

nem quero ser diferente em meio à multidão..


Quero ser o mais comum dos seres...

mesmo assim há algo muito meu em tudo que é alheio...


Meu mel já se foi só restou em mim o zumbido das abelhas,

mesmo assim vou ser o mais comum dos seres...


O MAIS COMUM DOS SERES COM A MAIS COMUM DAS DORES...


By Camila Passatuto

8 comentários:

Raoni Frizzo disse...

Belo texto, achei muito bom!

Na verdade, não temos que ser "comuns" ou "originais", basta ser o que somos, o nosso estado natural. Temos que ser comuns à nossa própria personalidade, na minha opinião.

Raoni
www.blogonews.blogspot.com

thaiane disse...

meu deus, vi tanto tanto de mim aí!

eu sei que ser o mais comum dos seres é não ser nada especial, mas agora acho que não adianta muito, porque mesmo não sendo o mais comum dos seres, é dificil reconhecerem como vc é especial. enfim, acho que é assim que eu me sinto. :)

Antonoly disse...

Pequeno texto, mas de uma gigante profundidade!!
Beijos!

www.ooohay.wordpress.com

Everaldo Ygor disse...

Belo texto...
Ser, é o que somos...
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Luiz Paulo disse...

parabens pelo blog, tah show

Kinder Ovo disse...

otimo texto
simples e profundo...

parabens pelo blog!
abarços

[?] disse...

Pois é...
"A mais comum das dores"... As pessoas são mais iguais do que a gente gostaria...

P.S.: "Meu mel já se foi só restou em mim o zumbido das abelhas"
Fodasso isso hein, moça!!!

Rharry Belloti disse...

Ótimo texto, como os outros que já vi aqui!!

Essa idéia de ser comum ou diferente é tão contraditória... Somos iguais perante a ética e não podemos nos igualar ao mesmo tempo. Uma questão a ser refletida, e você soube abordar o tema maravilhosamente bem. Beijo.