quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Limpe o Lavabo


O guarda-chuva e sua inutilidade me acompanham.
Os pés molhados e um pensamento inquieto, ando.
A cidade é de agora é de garoa é de garotas tristes.
Nenhum gesto me condena, a pele rasgada, sim...

O romantismo soterrado, pós-modernismo se quer,
O mal do século é das meninas, sumir-se, comer-se.
Nenhum gesto poetiza os carros, perco sangue, sumo.
Resumo as políticas, socializo a dor, comunismo ardor.

O mal do século cospe o que sobrou, a chuva se molha.
Passos descalços, o barulho de buzinas, o silêncio...
Pratear minhas mãos, existe injustiça nos verbos, amar.
E a cidade é de agora, é de garoa que as garotas insistem.


By Camila Passatuto

8 comentários:

rafaelcoelho disse...

Linda caminhada...

Anônimo disse...

meu , eu não gosto de poesia nem poema , mas eu tenho q adimitir q vc tem talento , ja esta nos favoritos

calango azedo disse...

o que seria esse mal do seculo???

Inez disse...

Lindo o poema, adorei.

cau disse...

lindo o texto!

;*

Polly disse...

A chuva ainda chove, molhada..

BHY disse...

Olá,

Peço a você para ajudar na divulgação do abaixo-assinado para a campanha "Não Homofobia". Por favor, acesse o site https://www.naohomofobia.com.br/home/index.php e participe. Indique para os amigos, para os amigos dos amigos e vamos juntar 1 milhão de assinaturas. Nesse link http://beagay.blogspot.com/2009/02/nao-homofobia.html há banners que você poderá colocar no seu site e ajudar na divulgação. Trata-se de uma causa humanitária. Obrigado!

BHY
www.beagay.blogspot.com

Renan Barreto disse...

Texto bacana. Gostei da parte "inutilidades do guarda chuva". Verdade rs

Se puder VOTA NEU! MELHOR OPINIAO categoria humor na comunidade Eu tenho um Blog!

Valeu!